• Matinta Editorial

Matinta Entrevista #01: Nathan Magalhães

Atualizado: 9 de set. de 2021

A MATINTA começa hoje uma série de entrevistas com profissionais do texto. Para inaugurar a nova seção do nosso blog, a Matinta Entrevista, convidamos Nathan Magalhães, que está à frente da editora Moinhos e do site LiteraturaBr.



Conheço o Nathan Magalhães há alguns anos, desde quando ele me convidou para publicar alguns poemas meus no site Literatura Br, que agora conta com um financiamento coletivo para publicação de sua primeira antologia poética, com objetivo de comemorar os quase 20 anos do portal, a Antologia Poética LiteraturaBr. Segundo ele, metade de sua vida foi dedicada ao texto e sua primeira relação com a escrita vem da época que escrevia resenhas para ele mesmo, a fim de memorizar o que lia. Na edição, sua primeira aventura foi com as zines e uma revista. Além desse percurso, até fundar sua editora em 2016, a Moinhos, Nathan também foi professor de redação. O editor nem precisaria falar mais nada: está aí sua relação com o texto. Mas Magalhães falou muito mais sobre sua vivência como profissional do texto para mim, Anelise Freitas, que o entrevistei para essa seção.


"Já se passaram 17 anos desde que tudo começou, é incrível como a literatura me levou a caminhos que eu não imaginava percorrer." (Nathan Magalhães)

O editor conta que foi Eduardo Lacerda, editor da Patuá, quem o incentivou a ser editor: "sem saber de praticamente nada do mercado, (Eduardo Lacerda) me deu várias dicas e comecei a me interessar ainda mais pelo mercado do livro, fiz cursos online e aprendi na prática a produzir um livro". Segundo Magalhães, ele é que foi escolhido pela profissão, e quando produziu seu primeiro livro percebeu que era aquilo o que queria fazer da vida.


A Editora Moinhos, coordenada por Magalhães e Camila Araújo, é uma casa editorial que publica, de maneira independente, livros dos mais diversos gêneros. Além dos grandes clássicos da literatura, a editora publica livros inéditos e está focada na literatura latino-americana. O nome, Moinhos, vem da intenção de ser uma fonte de energia para o trabalho de diversos autores. A editora, ao lado da Mundaréu, criou o primeiro clube de livros focado exclusivamente em literatura da América Latina, o Tortilla, que se auto-intitula una facción literaria.


O editor aponta que o mercado do livro cria uma ânsia em quem resolve se enveredar por ele e que, se pudesse voltar no tempo para quando começou a trabalhar na edição de livros, diria para a si mesmo para ser paciente, para se "apressar vagarosamente". Além dessa ânsia, diz que um dos seus grandes desafios como editor é estabelecer diálogo com os autores e autoras que publica:


"Enquanto revisor, tentar compreender a maneira da escrita que se instaura no texto e respeitá-la dentro das normas gramaticas, ao mesmo tempo em que respeito as escolhas feitas pelo autor ou autora daquele texto." (Nathan Magalhães)


Sobre os erros mais cometidos na edição de livros, Magalhães salienta a questão organizacional, dizendo que se deve respeitar todas as etapas da produção de livro, visando a qualidade do trabalho final. Para algumas editoras como a Moinhos, a responsabilidade com as burocracias fica sob a responsabilidade de quem edita, assim, é importante não fazer o trabalho com muita velocidade (fazer um trabalho na marra pode atrapalhar toda a produção de um livro) e fechar acordos sem receber adiantamentos. Segundo ele, esse último é também um dos maiores erros cometidos por revisores e preparadores de texto. Ao final, Magalhães compartilhou seus métodos de trabalho conosco, afirmando que no cerre de cada dia estipula suas atividades do dia seguinte, mensurando as tarefas mais complexas e quanto tempo levará para cumprir cada uma delas.




27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo