• por Anelise Freitas

Limites da revisão: a revisora sabe tudo?

Atualizado: 4 de Dez de 2020

A revisora erra? Ou melhor: por que ela erra? Tento responder essas e outras questões que surgem sobre o trabalho de revisão de textos.




Quem revisa erra. Ponto. Não é que façamos de propósito e nem que não saibamos fazer o nosso trabalho, mas existem alguns fatores que levam ao erro, e é sobre isso que quero falar nesta breve reflexão sobre a revisão de textos.


Todo mundo erra


Começemos pelo básico: sempre tem uma coisinha que passa despercebida. Mas isso quer dizer que um texto pode voltar para o cliente cheio de erros? Não. Isso quer dizer que a revisora precisa sempre ler pensando no erro. Precisa haver sempre uma desconfiança, porque isso cria uma lupa sobre o texto e diminuiu a ocorrência de erros na revisão. Então, é possível deixar passar uma coisa ou outra, porque somos humanas. Não existe um número plausível de erros, mas fica implícito que não pode haver um monte deles. Algumas editoras, por exemplo, trabalham em um esquema de revisão por provas. Assim, o texto passa por mais de uma revisora. Esse esquema vai lapidando o texto até que ele esteja com nenhuma ou com o mínimo de inadequações.


Saco vazio não para de pé


Outro fator que pode levar a algum equívoco na hora da revisão é o excesso de trabalho e, principalmente, as condições de trabalho. É comum que a revisora trabalhe em casa, no famoso esquema homeoffice [em 2020 eu trabalhei no bathoffice, pois meu escritório ficava dentro do banheiro], e passe muito tempo na frente do computador. Ler durante muito tempo sobre uma tela, vocês sabem, pode gerar um grande cansaço. Além disso, a demanda de trabalho é grande, muitas vezes estamos revisando mais de um texto no mesmo dia. Aí, tem que haver muita disciplina para conseguir entregar um bom trabalho. Um grande volume de trabalho somado aos curtos prazos e adicionada uma pitada de telas luminosas piscando diante de nossos olhos pode resultar em um vacilo ou outro que passa despercebido. E isso não tem nada a ver com a qualidade do nosso trabalho, mas sim com a nossa condição humana e com as condições de labor.


A cabeça impõe o ritmo


Revisoras não são enciclópedias ou gramáticas. Obviamente, estamos sempre buscando as melhores ferramentas de trabalho e as melhores fontes de pesquisa. Mas quando você submete um texto à revisão não está o enviando a uma máquina, todo trabalho intelectual está sujeito a erros. A revisora é alguém que domina técnicas e saberes que são capazes de deixar o seu texto mais adequado, mas seu trabalho é humano. Além disso, temos nossos dias de bad proofreading day. Há dias que não estamos bem para revisar, que a cabeça não consegue se concentrar e acabamos fazendo mais mal do que bem ao texto. Mas aí temos uma questão premente: o prazo. Nem sempre é possível tirar um dia para descansar a e voltar à revisão depois. E então, cataploft, pode acontecer de passar alguma coisinha porque o texto nos pegou bem no meio de um dia ruim.



Enfim, o ofício da revisão é algo que me alegra muito, pois poder trabalhar tendo acesso a textos tão variados e, também, por isso, tão especiais, é uma espécie de privilégio. Saber que alguém confia tanto na sua leitura que está te pagando para isso é, ao mesmo tempo, uma delícia e um desafio. Por isso, o melhor mesmo é ter uma relação dialógica com a sua revisora. Assim, você mantém a qualidade do trabalho dela e, consequentemente, do seu texto.


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

©2020 por MATINTA 

MATINTA * tipo ideia no papel

CNPJ  35.653.597/0001-58

Rua Vila Rica, 15/401 - São Mateus - Juiz de Fora/MG