• por Anelise Freitas

Como enviar seu original para uma editora?

Quer publicar, mas não sabe muita coisa sobre o mercado editorial. E agora?




Já levo seis anos trabalhando diretamente com o mercado editorial de poesia e uma das coisas que mais me incomoda é a maneira como algumas pessoas abordam suas editoras (ou pior, ainda possíveis editoras). Sei que esse desconforto não é só meu, pois é um assunto que sempre volta às rodinhas de editoras e editores. Vendo tanta gente boa se estrepando por causa do contato com a editora, resolvi preparar algumas dicas bem pessoais que saquei da minha prática como escritora e editora.




1. CONHEÇA O CATÁLOGO DA EDITORA


Essa talvez seja a dica de ouro. Nunca, eu disse NUNCA, envie um original para uma editora que você desconheça o catálogo. Primeiro, porque é desagradável. Se você estiver enviando seu original para uma editora de médio ou pequeno porte, que venda exclusivamente em seu site ou pelo inbox do Instagram, a chance dessa editora conhecer o seu público bem de perto é muito grande. Imagine uma editora recebendo o seu original quando nem você conhece o que ela produz. O segundo motivo para não enviar um original sem conhecer o catálogo é que a editora pode não atender à linha do seu livro e do seu público. E, por último, se você nunca leu um título publicado por ela, não sabe o tipo de papel, a qualidade do produto, como costuma ser a recepção dos lançamentos. Em suma, se nem você, que quer publicar um livro pelo selo, compra, como garantir que os seus leitores comprarão? Recentemente, assisti a uma mesa sobre formação de catálogo, no evento criado por Ana Elisa Ribeiro, professora do CEFET-MG, e por Nathan Matos Magalhães, editor da Moinhos, o Pensar Edição Fazer Livro. A quarta edição aconteceu de forma remota, no canal do Youtube do evento. A importância desse encontro se dá na sua gênese: discutir o mercado editorial e a edição de livros. Deixo aqui o link para que vocês vejam o que as editoras e os editores que participaram da mesa pensam sobre escritoras e escritores que enviam originais sem conhecer o catálogo.



2. SEJA CORDIAL


Essa dica vale pra todas as situações da vida. No campo editorial é bem corriqueiro acontecer de alguém chegar no seu inbox dizendo: "Oi, eu tenho um livro pronto, posso te mandar o pdf?". Sim, toda editora fica super feliz em perceber que seu trabalho é admirado, mas lembre-se de que não é só você que está enviando o seu original e que as suas chances aumentam se a sua conversa com a editora acontecer de maneira agradável. Faça um teste: entre em uma sala onde você não conheça ninguém e grite: "Abre a janela". Ninguém vai colaborar e ainda vão criar o famoso ranço. Mas se você chegar dizendo "Oi, bom dia. Alguém poderia abrir a janela, por favor?" ninguém se oporia. É mais ou menos assim que funciona com a sua editora. Escreva um e-mail de apresentação - evite o inbox, pois os arquivos e as conversas se perdem -, dizendo quem é você e por qual motivo seu livro se enquadra no catálogo daquela editora. Aqui é uma ótima oportunidade pra você não falhar na primeira dica: mostre que você conhece o catálogo e, por isso, sabe que seu livro tem tudo a ver com aquela editora.



3. ENVIE ARQUIVOS FECHADOS


Nunca envie seu texto diretamente no corpo do e-mail. As editoras provavelmente não lerão seu original se você enviá-lo assim, pois, além de todo o volume de trabalho que elas têm, isso mostra um certo desinteresse e descaso, tanto com o trabalho de quem edita quanto com o seu trabalho com a escrita. Dentro da rotina de uma editora, que pode ser bastante estressante e, além do mais, muitas vezes com a equipe reduzida, não há mão de obra e nem tempo hábil para alguém passar seu texto para um arquivo, formatá-lo e editá-lo antes da apreciação. Esse primeiro escopo do livro quem faz é a autora ou o autor. A melhor opção é enviar o arquivo fechado - em formato pdf. Lembre-se que a editora ainda não aceitou publicar o seu livro. Quando isso acontecer, ela vai precisar do aquivo aberto para diagramação e revisão (em alguns casos, para tradução), mas, por enquanto, ela vai apenas ler para saber se se interessa pela publicação. O pdf é um formato bem comum em qualquer computador e celular. E, além disso, não desconfigura. A gente sabe que a forma é fundamental para qualquer trabalho com a linguagem. Então, se o seu trabalho é com a escrita, é fundamental que a editora possa ver o seu livro o mais próximo possível do que você imagina como produto final. Nesse arquivo, você pode até colocar alguns comentários e recomendações.



4. VEJA SE A EDITORA TEM CHAMADA ABERTA


Outra coisa que acontece muito é enviar o livro e a editora retornar dizendo que não aceita originais. Isso acontece por uma série de motivos, que podem ser a falta recursos (financceiro e de mão de obra), afinal, ela precisaria ler, dar feedback e publicar tudo o que fosse editorialmente interessante; porque ela já fechou seu calendário editorial dos próximos meses - sim, as editoras sabem com muita antecedência o que vão publicar; ou, simplemente, porque ela não aceita originais (isso tem a ver com formação de catálogo. Se você chegou aqui sem ver o vídeo sobre o qual falei na primeira dica, volte lá e assista!). Então, para evitar esse tipo de acontecimento, é bom você pesquisar bastante no site e nas redes sociais da editora para a qual você pensa enviar seu original. Muitas deixam explícito em seus sites e redes sociais se estão recebendo originais ou não. E algumas têm chamadas abertas para publicação, o que pode facilitar o processo de edição do seu livro, pois a editora já está predisposta a receber originais.



5. NÃO USE SEU ORIGINAL COMO BARGANHA


Muita gente acha que ter seu livro aceito por uma editora menor é uma grande isca para barganhar com uma editora maior. Supondo que seu livro seja aceito por uma editora que publica em baixa tiragem, mas você acha que o livro merece uma tiragem maior. Aí, você manda seu original para uma outra editora e diz: "Olha, meu livro vai sair pela editora X". Isso, na tentativa de valorizar o seu livro, acreditando que é uma boa tática. Eu, entretanto, acho que é um tiro no pé. Além da possibilidade de perder o contato com as duas editoras, você ainda vai se queimar. Afinal, quem vai querer publicar o livro de alguém que não se importa com as questões editorias, mas apenas com a logo que vai estampar a capa do seu livro. Se você está em contato com alguma editora, exponha as suas ideias, dialogue e entre em um acordo. O famoso "conversando a gente se entende", porque vale mais você estreitar os laços com a casa que te acolheu, do que usar o que ela te oferece para barganhar.




Agora, sim, você já pode enviar seu original com toda segurança! :)

69 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

©2020 por MATINTA 

MATINTA * tipo ideia no papel

CNPJ  35.653.597/0001-58

Rua Vila Rica, 15/401 - São Mateus - Juiz de Fora/MG